Armando Martins Janeiro, O Jardim do Encanto Perdido – Aventura Maravilhosa de Wenceslau de Moraes no Japão

Manuel Barreira-Editor, Porto, 1956

Wenceslau de Moraes, orientalizado

O Jardim do Encanto Perdido, publicado em 1956, é a primeira obra que Janeira dedica integralmente a Wenceslau de Moraes – e a mais importante. O mais importante biógrafo de Moraes relata-nos aqui o comovente percurso deste “exilado” de Tokushima que arriscou a vida inteira numa experiência em busca da felicidade. De Portugal ao mais recôndito Japão, Janeira percorre os vários destinos onde Moraes viveu para perceber a sua irresistível atração pelo Oriente, que o afastou para sempre da família, dos amigos e do seu país.

«Mas é aos homens sinceros que o caso de Moraes se põe. Ele oferece-nos a experiência dum indivíduo inteligente, com cultura, sensibilidade e sentido artístico, que se decidiu a ir ver por si se o sistema de vida oriental resolveu melhor para o homem o capital problema da felicidade. As religiões, a filosofia, a literatura, as artes orientais, situam os problemas da vida e da morte, do indivíduo e do universo, em termos diferentes, novos para nós, mas amadurecidos na mais velha experiência que o homem possui. Os valores que os espíritos orientais criaram laborando sobre estas fundamentais questões durante dois milhares de anos mais do que nós, estão à nossa disposição, profundos e maduros, se quisermos adoptá-los. Mas seremos nós capazes de os absorver sem que causem perturbações graves à nossa personalidade? Será a humanidade tão una e a natureza do homem tão ecléctica que seja possível mudar-nos dum campo para outro de culturas tão diferentes que dir-se-ia que o próprio sentido da vida recebe nelas divergentes direcções?»

Armando Martins Janeiro, O Jardim do Encanto Perdido

Se quiser receber mais informações sobre esta obra, por favor contacte-nos.